quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Aos 30

Minha geração está na faixa dos 30. A maioria casou. Alguns separaram. Outros tiveram filhos. Alguns tiveram filhos e ainda assim separaram. Há também os que casaram mais de uma vez, com a mesma pessoa. Não me sinto com 30. Ainda não casei, mas os meus dois anos de namoro me encaminham pro fato de que a vida nos amadurece, mesmo que a gente não queira. Falta muito pouco pra formatura, mesmo que tardia. É difícil escolher uma profissão aos 18 e por isso faço parte de uma geração que se forma um pouco tarde. Tarde? Não sei. A geração dos meus pais não pensava em chegar aos 80 e casaram cedo. Se formaram cedo. Constituiram família cedo. Aos 30, minha mãe tinha 4 filhos. Cheguei aos 30 sem nem estar pensando nisso. A minha geração não faz questão de sair da casa dos pais para passar perrengue sozinho. A liberdade conquistada pela geração anterior, nos dá o direito de ir e vir, sem dar satisfações, mesmo morando com os pais. Por que sair de casa então? Eu que sempre fui autosuficiente, não vejo mais necessidade de sair de casa se não for pra casar. Como nos velhos e velhos tempos. Algumas coisas jamais mudam. Pensem nisso.

2 comentários:

Didi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dri Higa disse...

É, amiga... Algumas coisas não mudam, mas se reinventam... Uma geração é sempre antagônica à sua anterior. Primeiro as pessoas se casavam e viviam juntas, felizes ou não, pelo resto de suas vidas. Depois veio o divórcio, que passou a ser a opção mais sensata entre mais de 50% dos casais. Finalmente chegaram à conclusão: "pra que casar então?". E morar junto tornou-se o comum. A lei facilitou dando respaldo a menor burocracia. Por fim, veja quantos casamentos estão sendo realizados nos últimos anos???? Sabe o que isso quer dizer: queremos sempre o novo, queremos ser revolucionários. Na prática, o que de ser feito mesmo é colocar em prática o que já existia... Coitada de nossa geração que não teve nada de fato contra a que se rebelar...